Suculentas

Bonitas e fáceis de cuidar (mesmo para quem não tem nenhuma experiência com plantas), as espécies desta família são ótimas opções para cultivar em casa. Se você é apaixonado por verde, mas não dispõe de tempo, nem de tanta intimidade com o assunto, anime-se com as imagens abaixo!

Captura de Tela 2015-11-19 às 17.07.22 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.07.35 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.07.44 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.07.51 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.08.04 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.08.10 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.08.16 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.08.23 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.08.33 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.08.44 Captura de Tela 2015-11-19 às 17.08.52

0

Estas são as 10 atrações turísticas mais incríveis do mundo

1 – Angkor Wat, em Camboja

size_810_16_9_templo-de-angkor-wat-em-camboja

Angkor Wat, em Camboja, é a melhor atração turística do mundo, segundo a Lonely Planet.

O local faz parte da lista de patrimônios da humanidade, da Unesco, e está situado em Angkor, um dos sítios arqueológicos mais importantes da Ásia.

A atração possui ruínas das diferentes capitais do Império Khmer e é considerada também uma das maiores estruturas religiosas já construídas da história.

2 – Grande Barreira de Corais, na Austrália

size_810_16_9_corais
O segundo lugar na lista da Lonely Planet é a Grande Barreira de Corais australiana.

A região possui uma das maiores das maiores biodiversidades do mundo com cerca de 400 tipos de corais, 1.500 espécies de peixes, além de tartarugas e até serpentes marinhas.

3 – Machu Picchu, no Peru

size_810_16_9_machu-picchu-no-peru

Outro Patrimônio da Humanidade também faz parte da seleção da Lonely Planet.

Machu Picchu, no Peru, fica a 2.430 metros acima do nível do mar. O local é considerado símbolo do Império Inca.

O local é conhecido também por ser a última fortaleza dos Incas. De acordo com a Unesco, Machu Picchu é um dos sítios culturais mais importantes da América Latina.

4 – Muralha da China, na China

size_810_16_9_a_grande_muralha_da_china

Conhecida também como a Grande Muralha, o local é uma incrível estrutura arquitetônica construída durante a China Imperial.

A atração vai desde Jiayuguan, província de Gansu,  até a foz do rio Yalujiang, província de Liaoning. Atravessa o Deserto de Gobi, e outras quatro províncias, Hebei, Shanxi, Shaanxi e Gansu, além de duas regiões autônomas, Mongólia e Ningxia.

A Muralha tem quase 21.200 quilômetros de extensão e aproximadamente sete metros de altura.

5 – Taj Mahal, na Índia

size_810_16_9_taj-mahal-india

Também considerado Patrimônio da Humanidade, segundo a Unesco, e uma das Sete Maravilhas do Mundo, o Taj Mahal está localizado na cidade indiana de Agra.

O local é também conhecido como uma grande prova de amor, pois foi construído pelo imperador Shah Jahan, que queria prestar uma homenagem póstuma a sua esposa Mumtaz Mahal.

6 – Parque Nacional do Grand Canyon, nos Estados Unidos

size_810_16_9_parque-nacional-do-grand-canyon-nos-estados-unidos

O Parque Nacional do Grand Canyon é um dos principais parques dos Estados Unidos e um ponto turístico que recebe milhares de turistas todos os anos.

O local foi moldado pelo rio Colorado durante milhares de anos e possui combinações únicas de cores e formas de erosão geológica.

7 – Coliseu, na Itália

size_810_16_9_vista-do-coliseu-de-roma

Segundo o Lonely Planet, não existe nenhum outro monumento que conte melhor a história de Roma que o Coliseu.

A atração é um anfiteatro erguido no período da Roma Antiga. Instalado no centro da cidade, o espaço já foi capaz de abrigar cerca de 50.000 pessoas.

8 – Cataratas do Iguaçu, no Brasil

size_810_16_9_cataratas-do-iguacu-no-brasil

A atração que representa o Brasil na lista da Lonely Planet é as Cataratas do Iguaçu.

As Cataratas ficam dentro do Parque Nacional de Iguaçu e são formadas pelas quedas do rio de mesmo nome.

Sua formação geológica é de 150 milhões de anos, porém a formação do acidente geográfico das cataratas se iniciou cerca de 200.000 anos atrás

9 – Alhambra, na Espanha

size_810_16_9_3363243380_b373ff8e6f_z

De acordo com a Lonely Planet, o complexo de palácios de Alhambra é uma das estruturas mais extraordinárias do mundo e um dos principais monumentos que representam a arte muçulmana no planeta.

A atração está localizada na cidade de Granada e foi construída para abrigar monarcas da Dinastia Nasrida, última dinastia muçulmana na península Ibérica, e a corte do Reino de Granada.

10 – Basílica de Santa Sofia, na Turquia

size_810_16_9_foto_1

A Basílica de Santa Sofia é um imponente monumento construído entre 532 e 537 pelo Império Bizantino para ser a catedral de Constantinopla

O local já serviu como mesquita entre 1453 e 1931, quando foi secularizado. Desde 1935, o espaço funciona como um museu.

0

DECORE O JARDIM COM OBJETOS DO DIA A DIA

Com uma dose de criatividade, objetos do cotidiano podem ser transformados em itens de decoração no jardim. Inspire-se e coloque mais verde em sua vida:
quadro verde; paisagismo; jardim;  (Foto: Iara Venanzi / Editora Globo)

1. QUADRO VERDE

Uma roda de bicicleta ou uma grade de ventilador ganham nova utilidade em poucas etapas: com o auxílio de um alicate e um pedaço de arame, feche os dois lados com tela de galinheiro. Depois, preencha com de rocha basáltica e terra, e, em seguida, faça o acabamento com musgo. Encharque a terra com adubo enraizador dissolvido em água, de acordo com a bula, e, com a ajuda de um palito ou tesoura, faça pequenos buracos para plantar suculentas. Por ter raízes curtas, elas são uma ótima opção para vasos pequenos ou locais com pouca terra. Nesta composição, Claudia usou senécio-azul, rosa-de-pedra, colar-de-pérolas, rabo-de-burro e flor-estrela.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

2. DELICADEZA DE PLÁSTICO

As suculentas são plantas que apresentam raiz, talo ou folhas engrossadas. Essa característica permite o armazenamento de água durante períodos prolongados e em quantidades muito maiores do que nas plantas normais. Por isso, elas não são fãs de água em excesso. Um jeito charmoso de protegê-las da chuva é criar redomas para os vasos de cerâmica a partir de garrafas pet. Barbantes, tags de cerâmica ou de papel e fios de sisal dão um ar romântico ao conjunto.

Use tijolos como centros de mesa (Foto: Iara Venanzi / Editora Globo)

3. DOIS EM UM

Reformou a casa e sobraram tijolos? Bastam duas pequenas intervenções para transformá-los em charmosos centros de mesa. Com uma serra copo, faça dois buracos na peça: em um, Claudia posicionou uma forminha de empada, que serve de apoio a uma vela. No outro, ela preencheu o espaço com um pouco de lã de rocha basáltica e plantou suculentas.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

4. PARA A ALEGRIA DOS PÁSSAROS

Criar um simpático comedouro é fácil: com pregos ou cola para madeira, junte dois pedaços deste material, formando um L. Depois, faça dois furos no centro da tábua e passe um fio de arame, que vai segurar a garrafa. Encha o recipiente com sementes e posicione-o de cabeça para baixo, com uma forminha de empada em sua base. Para dar graça à madeira, Claudia usou estêncil e tinta spray.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

5. REPAGINADA ESPERTA

Os paletes de madeira caíram na graça por suas várias possibilidades na decoração. Com eles é possível criar bancos, camas, sofás e até uma jardineira! Com uma serra sabre, escolha uma das bordas do estrado e corte, deixando uma ripa de madeira na parte de cima e duas ripas embaixo, formando um L. O próximo passo é preencher os vãos com o restante de madeira da estrutura. Em seguida, aplique três demãos deverniz para proteger a madeira. Depois de seco, comece a plantar: coloque uma camada de argila expandida, seguida por manta de poliéster e só então acrescente o substrato (misture duas partes de areia para uma parte de terra). Para um visual mais exuberante, vale misturar diferentes espécies de suculentas e cactos. Mas tome cuidado para que as plantas mais altas não façam sombra nas menores.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

6. ORGANIZAÇÃO NA HORTA

Ter temperos e ervas frescas sempre à mão é uma delícia. Para não se confundir e para deixar a horta mais organizada, invista nessa ideia simples e delicada: use galhos de uma árvore podada como identificador de plantas. Corte os galhos em um tamanho proporcional ao vaso e, com um estilete, descasque um dos lados. Use uma canetinha permanente para escrever o nome da espécie. Para evitar que a tinta borre, aplique uma camada de verniz antes de escrever.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

7. FUNÇÃO RENOVADA

Tente olhar para os objetos com a mente aberta e, assim, dar novos usos a peças do cotidiano. Nesta foto, dois bons exemplos: a vassoura de arame – usada para recolher folhas, grama e outros resíduos na limpeza do jardim – foi transformada em umaluminária. A lâmpada e o soquete ficam escondidos atrás da base de metal; já o fio corre pelo cabo de madeira até a tomada mais próxima. Ao lado, Claudia plantousuculentas nos vãos de uma veneziana de madeira, formando um quadro verde.  “O segredo para que elas fiquem bonitas é não cuidar muito. As suculentas são plantas de pouca manutenção”, diz Claudia.

telhas quebradas; jardim (Foto: Iara Venanzi / Editora Globo)

8. SEPARAÇÃO CHARMOSA

Hoje em dia, quase tudo pode – e deve! – ser reaproveitado. Telhas quebradas, por exemplo, não precisam ir para o lixo. Use-as como separadores de canteiros no jardim: além de dar um visual mais limpo e ordenado, os limitadores minimizam a propagação de ervas daninhas. Cave uma pequena vala ao redor do canteiro com a ajuda de uma pá de jardinagem, coloque as telhas dentro da vala até a metade e preencha o espaço com o solo removido, comprimindo-o firmemente. Vale usar tinta à base de resina PVA. para criar desenhos e estampas. Para fixar a tinta, passe uma camada de verniz ou resina.

Brinque com a altura dos vasos empilhando modelos de cerâmica (Foto: Iara Venanzi / Editora Globo)

9. SOBREPOSIÇÃO VERDEJANTE

Uma boa ideia para incrementar o jardim é brincar com a altura dos vasos. Uma maneira fácil e diferente é empilhar modelos de cerâmica, resultando em uma cascata de plantas. Para montar os vasos, siga o mesmo passo a passo da ideia número 5: adicione uma camada de pedriscos, cubra com uma manta de poliéster e depois acrescente o substrato. Para um efeito mais interessante, use suculentas pendentes, como a colar-de-pérolas. As suculentas pedem pouca quantidade de água. Não use pratinhos e jamais deixe a terra encharcada, porque a umidade excessiva apodrece suas raízes.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

10. ESTANTE EM MINUTOS

Sabe aqueles caixotes de frutas ou de plantas? Em vez de descartá-los, transforme-os em miniestantes. O primeiro passo é tratar a madeira: passe generosas demãos de verniz para protegê-las das chuvas e de respingos das regas. Se quiser pintar o caixote, use tinta à base de resina PVA. e só aplique o verniz após a secagem. Depois basta pregar duas ripas de madeira para formar as prateleiras da estante e abusar de vasos e objetos pequenos para decorá-la.

0

As 5 melhores cidades do brasil para praticar esportes aéreos

“Às vezes é preciso ir muito alto para compreender o quão pequenos somos”. Essa foi a frase utilizada por Felix Baumgartner no final de 2012 logo após se tornar o primeiro homem a quebrar a barreira do som em queda livre.

Para tal façanha, Felix fez parte do programa Red Bull Stratos, um projeto de 5 anos de trabalho árduo. Em uma capsula projetada para alcançar a estratosfera, ele pulou de exatos 39.045 metros de altura, protegido apenas por um traje pressurizado. Em 4 minutos e 19 segundos, Felix alcançou a impressionante marca de 1.342,8 Km/h (equivalente a 373 metros por segundo).

Bom, apesar de um salto como esse realizado por Felix ser privilégio para poucos (ou para ele, somente), existem muitas opções para quem deseja explorar os próprios limites. Então fizemos uma pequena seleção com as melhores localidades do país para se praticar alguns esportes aéreos.

E além da topografia ideal para o exercício de tais práticas, as belas paisagens naturais dos destinos abaixo são dignas da diversidade brasileira.

Aproveite!

1# Governador Valadares – MG (Parapente)

 

 

 

1-paraglind

Com pouco mais de 1.100 metros de altitude, o pico de Ibituruna é a principal razão para que Governador Valadares seja considerada, por muitos, a capital nacional do voo livre. Lá estão instaladas diversas rampas de decolagem de asa-delta e parapente que atraem pessoas do mundo todo. A cidade mineira, inclusive, já sediou a Superfinal da Copa Mundial de Parapente.

Ao todo, são quatro rampas de madeira e mais 10 rampas naturais, o que possibilita várias decolagens ao mesmo tempo.

Para mais informações visite o site da Associação Valadarense de Voo Livre.

2# Toledo – PR (Paramotor)

2

Se você procura um bom lugar para um voo de paramotor, saiba que a cidade de Toledo (região próxima a Cascavel) é um dos melhores locais no Brasil para esta modalidade. Os bons ventos durante quase todo o ano acabaram propiciando o desenvolvimento do esporte na região.

Além disso, a vantagem do paramotor, quando comparado aos outros esportes, é que não requer uma montanha (ou algo do tipo) para decolar – a decolagem pode ser feita até mesmo em locais planos. A região já recebeu a Primeira Copa América de Paramotor.

Para mais informações visite o site da Confederação Brasileira de Paramotor.

3# Rio Claro – SP (Balonismo)

3

Só para ter uma ideia de como a cidade é bem conhecida entre os aficionados por balões, ela recebeu no ano passado a 21ª edição do Campeonato Mundial de Balonismo, que contou com competidores de 32 países.

Não é raro avistar balões sobrevoando a cidade em dias comuns. Favorecida pelo relevo, Rio Claro é, talvez, o melhor local nacional para se fazer o primeiro voo de balão.

Para mias informações visite o site da empresa RR Balões.

4# Quixadá – CE (Asa Delta)

4

Destino certo para os amantes de esportes radicais, a cidade vem ganhando cada vez mais prestígio internacional. Com uma das principais rampas de voo livre do mundo, Quixadá é considerada um dos melhores locais para a prática da asa delta no planeta.

Na região, devido às condições climáticas, é possível que praticantes experientes realizem voos de asa delta de mais de 300 quilômetros de distância facilmente.

Para mais informações acesse a página do Facebook da Associação de Voo Livre do Sertão Central.

5# Boituva – SP (Paraquedismo)

5

Assim como Rio Claro, algumas outras cidades do interior paulista reúnem condições perfeitas para a prática de esportes aéreos. É o caso de Boituva que, a pouco mais de 100 km da capital, abriga o Centro Nacional de Paraquedismo, a maior área da América Latina e umas das maiores do mundo reservadas ao esporte.

Para mais informações acesse o site Paraquedismo Boituva.

 

0

AS IMPRESSIONANTES FOTOS DO NATIONAL GEOGRAPHIC PHOTO CONTEST

Dizem que o que mais importa na foto, mais que o equipamento, é o olhar do fotógrafo. Realmente, não há como negar isso. Outro fator aliado é estar no lugar na hora certa com uma câmera em mãos. Quantas fotos foram abençoadas por terem sido clicadas no lapso de tempo perfeito?

E os concursos de fotografia tornaram-se o néctar dos fãs de fotografia. O National Geographic Photo Contest é um deles e a cada ano milhares de fotógrafos enviam suas fotos em busca de um prêmio de US$ 10 mil e uma viagem para a sede da revista para participar de um seminário de fotografia. Além disso, há um prêmio de US$ 2,500 para três categorias diferentes: pessoas, lugares e natureza.

A qualidade das imagens enviadas ao concurso do National Geographic é tão grande que são capazes de despertar inveja e inspiração ao mesmo tempo. Fotógrafos do mundo todo têm enviado as suas imagens para a edição de 2016 desde 1º de setembro e podem enviar até 16 de novembro.

A premiação acontecerá em 10 de janeiro, e enquanto isso, podemos desfrutar de algumas das imagens impressionantes que participam neste ano, que, sem dúvida, é uma grande ajuda para amenizar a espera.

National-Geographic-Photo-Contest-3 National-Geographic-Photo-Contest-4 National-Geographic-Photo-Contest-5 National-Geographic-Photo-Contest-6 (1) National-Geographic-Photo-Contest-7 National-Geographic-Photo-Contest-8 National-Geographic-Photo-Contest

0

Uma casa na árvore

Foster Huntington é um jovem de 27 anos, bem sucedido e com uma carreira promissora na indústria da moda. Em 2011 ele deixou o seu trabalho em Nova York e começou a viajar pelo mundo, até tomar uma decisão bem curiosa três anos depois – largou tudo para morar em uma casa na árvore.  “Eu poderia ter comprado uma casa convencional, mas isso é bem melhor. É como realizar um sonho de infância”, afirma.

Foster escolheu um pedaço do terreno de uma propriedade familiar em Washington, e começou a construção de duas casas na árvore e uma pista de skate – para isso ele contou com a ajuda de amigos e do especialista em casas na árvore, Michael Garnier.

Essas são as casas que Foster construiu com a ajuda de amigos, construtores e especialistas. Para ligar as duas casas, ele construiu uma ponte e, embaixo, uma pequena pista de skate para o seu lazer:

casa1

Além de ter realizado um sonho de infância, o rapaz também tem uma visão privilegiada de belas paisagens.

casa2

Ele começou a construir as casas em 2014, e alguns meses depois, elas já estavam prontas, ficando melhores do que ele imaginava.

casa3 casa4 casa5

A casa por dentro, com simplicidade, porém muito aconchegante.

casa6 casa7

Pista de skate em seu “quintal”, onde o rapaz costuma se divertir com os amigos.

casa8 casa10 casa11 casa12 casa13

Foster Huntington em seu sonho realizado!
casa14

1

Antelope Canyon: o espetáculo da eternidade

À primeira vista, as fotografias de Peter Lik despertam o desejo. De tê-las por perto, explodindo em sensações. Ou estarmos na mesma paisagem, às vezes envolvida em bruma, às vezes sob um teto de estrelas ou ainda vibrando pela captação de cores que parecem ter sido fabricadas – e seriam facilmente se o fotógrafo australiano não soubesse o lugar exato e a luz mais precisa para que o tingimento fosse obra da natureza e não dele. “É tudo uma questão de luz. Acordar cedo, estar atento até tarde. As melhores horas para fotografar são a alvorada e o crepúsculo, porque nesses momentos a mãe natureza revela seu mistério. Meu desafio é tentar capturá-lo”, diz ele, que rodou 80 mil quilômetros do território norte-americano para fazer o livro Spirit of America, em que consta o ensaio de Antelope Canyon. Nas fotos, Peter mostra de maneira plástica e poética a paisagem que lhe toca e nos deixa com a respiração suspensa. Um trabalho de pesquisa, técnica e um não menos importante milésimo de sorte. Podemos adicionar ainda um extra de aventura e magia. Na fusão entre o momento e o clique, homem e câmera são um. Câmera e emoção. Aqui e agora como diz a filosofia budista. Seria todo fotógrafo aprendiz de Buda por um instante? Seriam eles os mais fiéis discípulos de Deus a registrar em imagens o indizível? “Descobri que meu trabalho é minha fé e a natureza minha igreja”, conclui o fotógrafo das paisagens.

02-antelope-canyon-o-espetaculo-da-eternidade 04-antelope-canyon-o-espetaculo-da-eternidade 05-antelope-canyon-o-espetaculo-da-eternidade 03-antelope-canyon-o-espetaculo-da-eternidade (1)

0